Pesquisar este blog

domingo, 9 de dezembro de 2012

O caminho é apertado.


A porta é estreita e o caminho é apertado


Mateus 7:13-15
13 - Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
14 - E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.
15 - Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.

Mateus 7:21-23
21 - Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
22 - Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
23 - E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

     Muitas vezes não damos a devida importância a esses conselhos de ouro dados pelo nosso Senhor. Não meditamos profundamente nessas palavras e não as praticamos. Hoje, quero refletir nessas palavras com você, caro leitor. O quê, por exemplo, poderia ser uma porta larga na nossa vida ou um caminho espaçoso? Tantas coisas, não é verdade? Mas vou chamar a sua atenção para um detalhe a respeito disso daqui a pouco. Todos nós somos falhos e pecadores e isso não é novidade para ninguém. Meu pai, certa vez, pegou uma folha de papel em branco e fez um ponto com a caneta numa parte dessa folha, segurou-a na mão e disse o seguinte para mim: "Meu filho, o que você está vendo nessa folha?" Um ponto preto, pai, respondi. Então ele disse: "ta vendo, filho, ninguém vê a brancura da folha, mas o ponto preto todo mundo vê. Assim é com a gente, filho, você pode fazer as coisas certas na maior parte da sua vida, mas quando você faz uma coisa errada, as pessoas só veem isso na sua vida." 
     Prezados, agora sim vou falar a respeito daquele detalhe que citei acima. O grande detalhe é o seguinte: pecado e erros todos nós cometemos, entretanto, o problema está em fazer desse pecado ou erro um hábito na nossa vida a tal ponto de nossa mente ficar cauterizada e acharmos que isso não é mais pecado ou  algum erro. Exemplo: nós sabemos que ter inveja é errado, mas nós sempre somos invejosos e não procuramos deixar de ser; nós sabemos que adulterar é errado, mas vez ou outra cometemos tal delito e com prazer; etc. É diferente da gente, no calor da emoção, cometer um erro, se arrepender e não querer nunca mais repetir tal erro. O verdadeiro arrependimento é aquele que faz o infrator mudar de rumo, mudar de atitude e causa tristeza por ter cometido tal erro. O filho de Deus peca, mas não faz disso uma prática pecaminosa em sua vida constantemente sem arrependimento.
     Vou repetir a pergunta: o quê, por exemplo, poderia ser uma porta larga na nossa vida ou um caminho espaçoso, caro leitor? Se nós sinceramente buscamos obedecer aos mandamentos de Jesus, então, procuraremos acatar o que ele fala acerca da mentira, da falta de amor ao próximo, do divórcio e do novo casamento, da hipocrisia, do amor ao dinheiro, etc. Pegando esses cinco exemplos, podemos dizer o seguinte: mentir, todos nós já mentimos, mas temos por hábito fazer isso ou não? Falta de amor ao próximo todos nós já cometemos, mas temos por hábito fazer isso ou não? O que é mais importante para nós: o próximo, que não frequenta a "nossa igreja" ou estar na igreja, por exemplo, para não perder aquela programação especial? Entendem o que quero dizer? Ir à igreja, cantar louvor, orar e chorar, mas no dia a dia a pessoa é egoísta, invejosa, hipócrita e não muda. Isso é um perigo ou não é para a sua vida espiritual? Quantos crentes você conhece que frequentam igreja há anos e continuam hipócritas? Igreja não muda ninguém, mas ser discípulo verdadeiramente faz a diferença. Amor ao dinheiro é um hábito na nossa vida ou não?
     Concluindo, há crentes, cristãos e discípulos. Em qual desses eu e você nos encaixamos?  Qualquer um pode ser crente; até os demônios são crentes. Cristão é o teórico e discípulo é o cristão na prática. Eu ainda não sou um discípulo verdadeiro de Jesus, mas concordo com o comentário do meu amigo Ercílio "Se nós recebemos ensino de Jesus e procuramos cumprir as doutrinas e ideias dele, somos seus discípulos, ainda que vacilantes." Sendo assim, sou um discípulo vacilante. Verdadeiros discípulos não temem desagradar filho, pai, mãe, cônjuge, amigos por amor a Jesus. Obedecem a Jesus custe o que custar. Se Jesus fala que devemos fazer isso e não aquilo, ainda que seja uma cruz pesada obedecer tal ordem, esses verdadeiros discípulos não questionam, não arrumam desculpas, mas simplesmente cumprem. Eles não têm medo de desagradar ao homem, mas a Deus eles não querem desagradar. Em outras palavras, os discípulos querem salvar almas para Jesus mesmo se vierem a desagradar alguém por suas palavras ou atitudes porque eles entendem que o pecado tem que ser chamado pelo seu nome. Se assim como eu você é um discípulo vacilante, não desanime e vamos procurar praticar tudo o que Jesus nos pede em sua santa palavra para sermos um varão perfeito, em Cristo, que não tem do que se envergonhar. Sim, a porta, tal qual disse o Mestre, é muitíssimo estreita e o caminho, deveras apertado, porque é muito difícil viver na prática do bem a todo instante. É muito difícil, mas não é impossível. A fé em Deus tem que ser operante e não inerte e deve agir por meio do amor ao próximo. 
     Que Deus nos ilumine sempre.

3 comentários:

  1. Grande Well, bela reflexão, mas permita-me sugerir um refinamento no seu conceito de discípulo. Discípulo não é o que sabe tudo e já assimilou por completo o que ensina o mestre, discípulo é o que recebe ensino, se expõe ao aprendizado e ainda o que estuda e procura cumprir as doutrinas e ideias de alguém, no caso, Jesus.
    Temo que pelo seu conceito de ser discípulo não haja ninguém que se enquadre, que se salve, que se encaixe. Nem eu nem você. Ademais, parece que você associou o ser discípulo com a salvação. Aqui está outro conceito, a salvação é exclusivamente pela graça, mediante a fé.
    Conclusão [de quem ainda está aprendendo]: Se nós recebemos ensino de Jesus e procuramos cumprir as doutrinas e ideias dele, somos seus discípulos, ainda que vacilantes. Mais, se fomos alcançados pela graça de Jesus e o aceitamos mediante a fé, somos salvos, não seremos julgados, mas passamos da morte para a vida. Quem assim procede, acerta a porta estreita.
    Isso parece simples, mas é uma caminhada cheia de desafios, que precisa ser vencida pela fé.
    Não é isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Erc, muito boa a sua colocação. Permita-me tentar ser mais elucidativo. De fato, eu sempre associei a ideia de discipulado com a salvação, pois reino de Deus para mim é sinônimo de salvação, apesar de já ouvir pessoas que não pensam assim. A salvação é somente pela fé. Ponto. Essa fé é uma fé, como disse no texto, operante e não inerte. É aí que me apego, pois dizer que tem fé, mas não segue o que Jesus nos pede é estranho. Se temos oportunidade de exercermos a nossa fé e não a exercemos não somos discípulos e, consequentemente, não seremos salvos. Diferente do ladrão na cruz que se arrependeu sinceramente ao crer em Jesus, mas não teve tempo da manifestar os frutos da sua fé. É como disse Tiago: "a fé sem obras é morta." É por aí, meu amigo Erc, que penso. Grande abraço e obrigado pela honra de ler seus excelentes comentários. Que Deus continue abençoando você e sua linda família.

      Estava esquecendo-me de falar o seguinte: Erc, você está certo ao afirmar que "Se nós recebemos ensino de Jesus e procuramos cumprir as doutrinas e ideias dele, somos seus discípulos, ainda que vacilantes." Nisso eu concordo e, portanto, já dei uma mudada no texto. Muito obrigado. O que quis, na verdade mostrar, é o caso de pessoas que se dizem cristãs, mas que tem prazer em cometer certos pecados. Tais pecados não causam repulsa nessas pessoas; não sentem desejo de arrependimento. Sabem que Jesus afirmou um determinado mandamento para nossa vida, mas não querem obedecer. Como pode ser salva uma pessoa que está em aberta rebeldia contra Jesus? Mas realmente isso é diferente de ser um discípulo vacilante. Você usou a expressão certa, Erc. Vacilante é diferente de ser um rebelde. Abração.

      Excluir