Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

As Grandes Instituições Religiosas


     

     Estimado leitor(a), aconselho-te a ler essas reflexões com o espírito "desarmado" de preconceitos e que Deus te ilumine grandemente. Entendemos que a vontade de Deus é que nos amemos uns aos outros e sabemos que isso não é fácil. Você e eu que afirmamos ser cristãos, esforcemo-nos para sermos verdadeiros discípulos comprometidos com os verdadeiros ensinamentos de Jesus, sabendo que pouco tempo nos resta. Deus abençoe grandemente a cada um que lê esse blog. 

Nota do autor do Blog:

         "Os verdadeiros adoradores adoram ao Pai em espírito e em verdade" - JC.

          Que Deus nos ilumine sempre.



Instituições Religiosas

Por Marcos Avellar


1
A seguir, objetivando uma reflexão, numero os principais problemas das grandes instituições religiosas:

1.      Incentivam a falsa superioridade religiosa: “Sou melhor do que você porque minha igreja é a certa e a sua não”!

2.      Divulgam o exclusivismo salvacionista: “Se você não for ‘batista’, (por exemplo), você não será salvo”.

3.      Praticam a “venda” da salvação: pregam que quem não dá dízimo, não será salvo. 

4.      Buscam conquistar clientes e chama-os de membros, que serão incentivados a dar dinheiro às organizações (através de dízimos, 2º dízimo, ofertas, pactos, ofertas especiais, plano para reforma e construção de igrejas, dinheiro para missões, etc), como se estivessem dando para Deus. 

5.      Contribuem para que a maioria dos esforços das pessoas seja para a realização de programações nas igrejas, e não para pregarem a Cristo. A maioria serve à instituição, pensando que está servindo a Deus.

6.      Fazem com que seus membros cultuem a instituição ou organização religiosa, como se fosse o próprio Deus, a ponto dos membros terem medo de fazerem algo contrário ao pensamento da liderança da instituição. 

7.      Buscam criar nos membros, uma completa dependência das programações do templo:  “se não vier ao culto, Deus não irá abençoá-lo”. Ou, “se não for ao culto, você estará pecando”.

8.      Pregam que o local onde ocorrem os cultos (templo), é o melhor lugar para adoração a Deus.

9.      Alienam as pessoas de tal forma que os membros não se incomodam porque a igreja não os ajuda em muitos problemas da vida, tais como: desemprego, doença, falta de dinheiro, etc., utilizando a famosa frase: “vamos orar, irmão”!

10.  Disseminam uma segurança irreal para seus membros, insistindo que dentro da igreja (“barca da salvação”), as pessoas estarão salvas. Quem nos salva é Deus, através de Jesus!

11.  Ameaçam os membros que dizem o que pensam e expulsa aqueles que insistem em apontar os defeitos, as falhas e os erros da instituição religiosa. 

12.  Muitas vezes orientam os membros que não falem, não procurem, não entrem em contato com aqueles que foram excluídos da igreja.

13.  Membros que são desligados da instituição e que acontece algo de negativo na vida deles (desemprego, separação, doença, etc.), os membros da ex-igreja, às vezes, os visitam e dizem que os problemas são devido à saída deles da igreja e a um suposto afastamento de Deus, assim como os amigos de Jó fizeram com ele.

14.  Favorecem explicitamente familiares de pessoas pertencentes à instituição: é certo emprego nas organizações religiosas para esposas, filhos, parentes, amigos, etc. A prática do “QI” (quem indica) é bastante comum.

15.  Boa parte da liderança das instituições religiosas mora em casas e apartamentos de luxo, tem carros novos e às vezes, importados. Afinal, é preciso que os membros vejam as “bênçãos de Deus”. Tudo isso é sustentado, muitas vezes, por pessoas que quase não tem o que comer.

16.  O discurso de pregar o evangelho a todo mundo é utilizado para angariar fundos, mas a maioria do dinheiro recebido pelas organizações eclesiásticas é utilizado para manutenção da máquina administrativa e não para pregar o evangelho ou para ajudar às pessoas.

17.  Os membros das instituições religiosas são orientados a viverem as doutrinas daquela instituição e não a viverem os princípios ensinados por Cristo.

18.  São feitos muitos estudos sobre as doutrinas da própria instituição eclesiástica a ponto dos membros acharem que a Bíblia só fala daqueles ensinos. Os membros não são incentivados a estudarem por si só, com a ajuda do espírito de Deus ou de Jesus.

19.  Vários templos são fundados, devido exclusivamente ao trabalho, dedicação e doações dos membros da igreja. Muita vezes, a liderança da instituição vem depois de tudo pronto, apenas para cortar a fita, no dia da inauguração.

20.  Há mais pessoas envolvidas na parte administrativa da instituição religiosa do que na pregação do evangelho.

21.  Boa parte dos sermões fala sobre o evangelho da prosperidade, que é uma tentativa de adaptação do capitalismo ao cristianismo.

Se você sentiu que vivencia algumas questões citadas acima, avalie a necessidade de uma mudança em sua vida, ore e pergunte ao Eterno o que Ele quer que você faça!
Só lembrando: Jesus mandou-nos fazer discípulos e não criarmos instituições religiosas. E igreja são pessoas e não paredes, CGC, etc. Você sabe como cumprir a ordem de Cristo e fazer discípulos? Se não, por favor, entre em contato através do e-mail abaixo.
Continue com Jesus!
Abraço,
Irmão Marcos Avellar
marcosavellar@hotmail.com

4 comentários:

  1. "Alguém, procurando Deus, entra numa igreja e se encontra com a religião. Pior, com uma instituição." (autor desconhecido)

    ResponderExcluir
  2. Gostei de tudo, concordei com a maioria, mas achei muito bom mesmo os itens 5, 18 e 19

    ResponderExcluir
  3. Yeshua não veio fundar uma religião mas remir os nossos pecados, nos ensinar o sentido pleno da Torah e abrir as portas para que os gentios pela fé pudessem adentrar a oliveira !

    ResponderExcluir